Anna

Casarramona

Um Conceito de Liberdade

A Paixão pelo Jogo

Comecei a jogar quando tinha 3 anos no Club Patí Manlleu, o clube da minha região. O Hóquei em Patins foi pela influência do meu primo porque quando era pequena imitava tudo o que ele fazia. Como ele se inscreveu no Hóquei, pois eu também segui os seus passos.

Sou aficionada por todos os desportos, mas o hóquei em patins em particular é aquele desporto que desperta a enorme paixão dentro de mim. Adoro a dinâmica do jogo e pelo facto de se jogar em cima dos patins. Patinar para mim transmite uma grande sensação de Liberdade.

Quando comecei, jogava numa equipa mista apesar de ser a única menina na equipa. Tenho muitas boas recordações daqueles tempos, aprendi e evolui muito. Com 15 anos tive a oportunidade de ingressar na equipa feminina do Voltregà e de jogar na OK Liga Feminina. Cresci imenso como jogadora e comecei a aprender e a me adaptar à realidade do hóquei em patins feminino. Passei também pelo Hostelcur Gijón, mas voltei a Manlleu e é onde jogo atualmente. Também sempre tive a oportunidade e a felicidade de competir em competições internacionais pela Seleção Espanhola.

As Conquistas

Tenho a felicidade de já ter conquistado troféus importantes, mas considero que o momento mais bonito da minha carreira foi com a seleção espanhola, nos últimos World Roller Games (Barcelona, 2019), onde conseguimos conquistar o terceiro Mundial de Hóquei em Patins consecutivo.

Mas continuo com a ambição e motivação para melhorar e aproximar-me ao máximo daquilo que possa ser a minha melhor versão. Quero conquistar um título com o Manlleu e continuar a ganhar com a seleção espanhola, sempre a querer mais, sempre a continuar a crescer.

Inspiro-me em todos aqueles que me ajudam e me dão recursos e oportunidades para que possa ser cada vez melhor, dentro e fora da pista. Estar rodeada pelos melhores é uma inspiração extra, que me obriga a dar tudo o que tenho para nunca os desiludir.

O Stick

“Ter o meu próprio stick é algo que me deixa muito feliz e fiquei muito contente com o resultado final.”

Quando estabeleci a parceria com a AZEMAD, na altura não havia nenhuma jogadora feminina com patrocínio e um stick próprio. Através do representante da marca na Catalunha, Santi da Hockeymania, abordaram-me para esse projeto de ser a cara do Hóquei Feminino da AZEMAD, juntamente com a Marlene Sousa.

Foi uma honra para mim e desde aí comecei a desenvolver o meu stick. Liberdade é um sentimento muito forte e é algo que me identifica. Quando jogo Hóquei é assim que me sinto, livre de “voar” dentro da pista, daí também a escolha do design de Falcão. Ter o meu próprio stick é algo que me deixa muito feliz e fiquei muito contente com o resultado final. Também acho que foi um incentivo a cada vez mais jogadoras terem essa oportunidade e de nos tornarmos referência para todos os jovens.

Para além de todo o conceito, considero o meu stick muito equilibrado em todas as vertentes. Pessoalmente gosto muito da sensação de toque e da técnica que proporciona. Como também tem uma maior dureza, é bom para remates de longa distância. Resumindo, é Liberdade para seres aquilo que quiseres.